Ano da Misericórdia

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

MEDITANDO SOBRE A FÉ SEM OBRAS É MORTA

MEDITANDO SOBRE A FÉ SEM OBRAS É MORTA


OBJETIVO : Mostrar que a fé deve estar ligada com a realidade e participação da comunidade.
MATERIAL : 3 copos com água e 3 sonrisal (efervecentes).
DESENVOLVIMENTOS :
O Sonrisal é a nossa fé, o copo com água é a comunidade.
No 1º copo colocar o Sonrisal fechado no lado de fora do copo.
Será que nossa fé não está igual este Sonrisal, fechado e alheio à comunidade? Será que nossa fé não está alienada?
No 2º copo colocar o Sonrisal fechado dentro do copo.
O Sonrisal está na água mas não se mistura. Nós estamos dentro da Comunidade, mas será que não estamos fechados ao próximo que nos pede ajuda? Será que não vivemos uma fé individualista?
No 3º copo abra um Sonrisal e coloque dentro dele.
O Sonrisal irá se efervecer e misturar com a água e se transformará em remédio.
A Nossa fé deve ser transformadora, inserida na comunidade, deve estar ligada à ação.
“A FÉ SEM OBRAS É MORTA”.

*************************************************************************
👉👉 Dica em sala com os catequizandos:
Como temos visto nos últimos dias o mundo só fala dos Jogos... Jogos Olimpicos e o novo Jogo Pokémon Go, que tantas polemicas tem levantado.

Aqui não quero discutir nenhumas dessas polemicas, mas acho que devemos aproveitar o que o mundo nos oferece e usar na Evangelização. Esta passagem do Evangelho acho que define bem essa situação:
👉👉 "Não peço que os tires do mundo, mas sim que os preserves do mal. Eles não são do mundo, como também eu não sou do mundo. Santifica-os pela verdade. A tua palavra é a verdade."
(Jo 17, 15-17)
Vamos então, aproveitar essa empolgação, e usar ao nosso favor, vamos conscientizar e nos aproximarmos mais de nossos catequizandos com um encontro divertido e atual!
Como sugestão para esse encontro pensei em proporcionar uma Caça aos Anjos.
1. previamente esconda figuras de anjinhos em todo o local que os catequizandos tem acesso e que podem procurar.
2. Cante a musica "Tem Anjos voando" do padre Marcelo
3. Assim que terminarem, de a eles um cartão para que escrevam uma oração falando a
Jesus, que O amam e querem segui-Lo dia após dia. Que Jesus Ajude-os a dizer aos outros amigos que Ele os ama muito, e que morreu por eles, para que eles possam optar por segui-Lo também. Texto: catequese na net.

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Transfiguração do Senhor

A festa da "Transfiguração do Senhor" acontece no mundo cristão desde o século V. Ela nos convida a dirigir o olhar para o rosto do Filho de Deus, como o fizeram os apóstolos Pedro, Tiago e João, que viram a Sua transfiguração no alto do monte Tabor, localizado no coração da Galiléia. O episódio bíblico é relatado distintamente pelos evangelistas Mateus, Marcos e Lucas. 
O significado dessa festa é, e sempre será, o mesmo que Jesus pretendeu, naquele tempo, ao se transfigurar para os apóstolos no monte, ou seja, preparar os cristãos para que, em qualquer circunstância, permaneçam firmes na fé no Cristo.
Melhor explicação, só através das inspiradas palavras do Papa João Paulo II, quando nesta solenidade em 2002, nos lembrou que:  


"O rosto de Cristo é um rosto de luz que rasga a obscuridade da morte: é anúncio e penhor da nossa glória, porque é o rosto do Crucificado Ressuscitado, o único Redentor da humanidade, que continua a resplandecer sobre nós (cf. Sl 67, 3)".




quinta-feira, 23 de junho de 2016

Evangelho Lc 9,51-62

3º DOMINGO DO TEMPO COMUM - Domingo 26/06/2016
Leituras
Primeira Leitura 1Rs 19,16b.19-21
Salmo (15 (16))
Segunda Leitura Gl 5,1.13-18
Evangelho Lc 9,51-62
Mensagem Principal
Mais uma vez o Senhor nos presenteia com o dom de sua Palavra, que neste domingo tem como tema predominante o discipulado, ou o do seguimento. Sabemos que não é fácil seguir Jesus, mas somos escolhidos e preparados para anunciar sua mensagem de esperança e amor. Nesta liturgia, peçamos ao Senhor que fortaleça os laços de amor que nos identificam como discípulos e discípulas do Mestre.
Ideia para trabalhar esse Evangelho
Que tal aproveitar um barquinho de papel e explicar para as crianças o verdeiro sentido de seguir Jesus?

Devemos nos lançar no grande mar que é a vida, com todas as suas turbulências e perigos.. Lá há muitoooos que precisam conhecer o Seu amor....
Nosso barco é pequeno, sim... MUITO.
Mas Jesus sempre, sempre Segura nossa mão.
Num barco pequeno não cabe muitas coisas... e realmente não podemos carregar tudo para seguir Jesus, temos que estar leves... o que você vai deixar?
- a desobediência
- a preguiça
- a falta de amor
- o egoísmo
- a mentira
Que mais?
Vamos fazer uns barquinhos de papel, pegar uma bacia bem grandona e dar este importante ensinamento para os nossos pequenos.
Peça ajuda ao Espirito Santo, Ele conduz nosso barco, nossas palavras... nossa missão!
Oração:
A oração do Pai Nosso é uma importante oração para quem quer seguir Jesus.


quinta-feira, 2 de junho de 2016

Santos Juninos


Dia 13 de junho a Igreja Católica celebra o dia de Santo Antonio.
Mas quem foi este homem tão amado o qual tantas pessoas lhe são fiéis e confiam na sua intercessão junto a Deus?
Seu nome era Fernando e nasceu no dia 15 de agosto de 1195 em Lisboa, Portugal. Era franciscano e tornou-se conhecido como um grande pregador. Fixou-se em Pádua, reformou a cidade, acabou com a prisão de devedores, ajudou os pobres e morreu em 13 de junho de 1231 aos 36 anos. Foi canonizado em 30/05/1232 pelo Papa Gregório IX, e indicado Doutor da Igreja em 16-01-1946 por Pio XII com o título de “Doutor Evangélico”.
Era chamado o “Trabalhador Maravilha” pelos seus muitos milagres, é o padroeiro dos casais, e um santo popular para encontrar itens perdidos. No Brasil é o Santo casamenteiro e é invocado pelas moças solteiras para encontrar um noivo.
O milagre dos peixes: Santo Antonio faz um sermão aos peixes, no rio Marecchia porque os homens de Rimini não o querem ouvir. Os homens, ao verem todos os peixes com a cabeça fora da água como que ouvindo as suas palavras, eles arrependem-se e dirigem-se para junto do Santo, ouvindo o sermão.

O milagre do jumento: Um herege não acreditava que Cristo de fato estava presente na Eucaristia. Santo Antonio diz que o jumento que o homem tinha, era menos teimoso e que seria mais fácil convencê-lo. Ao ver a hóstia, o jumento ajoelha-se.

Em 1236 fizeram o traslado do seu corpo e foi possível encontrar a língua do Santo, perfeitamente rosada, no corpo já em decomposição. A língua ficou como relíquia lembrando que aquela língua anunciou a palavra de Deus ao mundo.






sábado, 16 de abril de 2016

Abertura Oficial do Rota 300 Chegada Oficial na Diocese da Imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida


                                       



Rota 300
Imagem Peregrina da Mãe Aparecida na Paróquia São Vicente Pallotti
em Arapongas-Pr.
Quanta honra estar em tua presença Mãe! Que alegria e grande bênção para a Juventude Palotina vivenciar esse momento!
"Dai-nos a bênção, oh Mãe querida
Nossa Senhora Aparecida"
Que nossa Mãezinha cubra com seu manto sagrado nossa cidade, nossa juventude, nossas comunidades! Amém!
Fotos e Texto: Daiane da Paz
***********************************************************************
Aconteceu dia 10/04/2015, no Cine Teatro Fênix, aconteceu uma Noite Comemorativa ao Jubileu da Diocese de Apucarana, com um Stand expondo uma das maiores revistas católicas "Revista Família Cristã" que há 80 anos é publicada pela Paulinas editora.Também nesta edição de abril contamos com 01 artigo especial escrito pelo nosso bispo Dom Celso Marchiori III sobre os 50 anos do Jubileu diocesano e que se firmou uma parceria junto a D.A on line sistema de comunicação e Revista Família Cristã em prol da evangelização.Você que sentir o desejo de assinar a revista pode entrar em contato conosco.
A noite foi regada de belíssimas vozes, na regência do maestro Adenor Terra.
Parabenizamos e agradecemos nossa comunidade diocesana pela presença!

E no dia 01 de abril de 2016 foi de muita emoção e alegria na apresentação do 2º Concerto de Páscoa – “Cantate Domino” (Cantai ao Senhor), realizado na Paróquia Santo Antônio de Pádua em Arapongas. 
Esta foi à segunda apresentação da temporada de páscoa, a primeira foi realizada no dia 31 de março no Santuário São José em Apucarana, ambos contando com 4 corais adultos, são eles: Coral Vida e Vozes, Coral Nossa Senhora Aparecida, Coral da FACNOPAR e o Coral São João Maria Vianney sob a regência do Maestro Adenor Leonardo Terra.
O Maestro Adenor que é mestre em musicologia realizou inúmeros ensaios com os membros que compõem os coros se preparando para estas duas apresentações que aprimoram ainda mais a cultura musical da nossa região.
Se você ainda não prestigiou um dos concertos, não perca as próximas apresentações, garantimos que você irá se emocionar! você ainda não prestigiou um dos concertos, não perca as próximas apresentações, garantimos que você irá se emocionar!

terça-feira, 5 de abril de 2016

HISTÓRIA DA SALVAÇÃO (INTRODUÇÃO)

A História do Povo Hebreu é a história da presença de Deus em todos os momentos.

1-Deus se serviu deste povo para transmitir uma mensagem de fé e preparar a humanidade para receber o Salvador;
2- A Bíblia é um livro religioso, não histórico, ou científico;
3- Ao mesmo tempo, cada família ou povo tem uma História. A vida de um povo se desenrola no tempo. Portanto, na Bíblia há um aspecto histórico importante.
HEBREUS (HEBER): antepassado de Abraão;
JUDEUS (JUDÁ): depois do Exílio da Babilônia (Tribo de Judá);
ISRAEL (JACÓ): Nome dado a Jacó (povo único - monoteísta).
POVO DA ALIANÇA: escolhido por Deus como povo e que aceitou Deus como seu “Deus”.
ANTIGA ALIANÇA: preparatória para a Nova Aliança, Cristo.

Criação: linguagem figurada (paraíso, serpente, fruto).
No princípio Deus criou o céu e a terra. Exista a luz e as trevas. Faça-se o firmamento no meio das águas (terra e mares). Produza a terra erva verde. Faça-se dois luzeiros (dia e noite).Faça-se répteis animados e viventes. No sexto dia, FAÇAMOS (plural majestático) o homem à nossa imagem e semelhança. Descansou no 7º dia. Deus colocou o homem no Paraíso de delícias. Disse Deus: não é bom que o homem esteja só. Mandou um profundo sono a Adão, tirou-lhe uma de suas costelas formando a mulher (serão dois numa só carne - matrimônio). Eva desobedece, come do fruto que está no meio do paraíso (fruto proibido), pois a serpente disse para Eva que se ela comece do fruto, seria como uma Deusa (pecado original - desobediência - querer ser igual a Deus).
Eva, depois que come do fruto, dá a Adão e os dois percebem que estavam nus. Ao ouvirem a voz de Deus passeando pelo Paraíso, sentem medo, pois estavam nus. Adão culpa Eva e Eva culpa a serpente, e Deus amaldiçoa a serpente colocando inimizade entre ela e a mulher (Nossa Senhora pisando a serpente). Deus castiga Eva dando-lhe a dor do parte e submissão ao marido. Adão tirará da terra o sustento com trabalhos penosos. Expulsou-os do Paraíso. Eva deu à luz Caim e Abel. Caim era lavrador e Abel pastor. Deus agrada-se de Abel, pois este era bom aos olhos de Deus. Caim, por inveja, mata Abel. Deus amaldiçoa Caim. Caim conheceu sua mulher e deu à luz Henoc.
Cresce e prospera a família, um deles é Noé. Deus, vendo que era grande a malícia do homem, manda o dilúvio. Pede a Noé que construa uma arca (Arca de Noé). Que entre na arca  ele, os filhos, a mulher, a mulher dos filhos, machos e fêmeas dos animais. E veio o dilúvio por quarenta dias. Noé solta um corvo e este não retorna. Mandou uma pomba e ela retornou sem nada. Depois de sete dias, mandou novamente a pomba e esta retornou com um ramo (sinal de terra). Deus fez aliança com Noé prometendo que nunca mais mandaria o dilúvio. A família de Noé prosperou. O povo resolve fazer tijolos para construir uma cidade e uma torre que chegasse até o céu (Torre de Babel). O povo, que falava a mesma língua, começa a falar em outras línguas e não se entendem. Cessam então de edificar a cidade e a torre.
PATRIARCAS (1800-1600 a.C.). Do meio deste povo, surge Abrão (Dt 26,5). Pai da Nação, nômade da cidade de Ur. Deus diz a Abrão: sai da tua terra, vem para terra que Eu mostrar (Canaã). Abrão pede a Deus terra e descendência. É a história de uma família - clã - tribo (Patriarcas). Abrão era velho e Sara, sua esposa, era estéril. Sara dá a sua escrava Agar para Abrão ter com ela um filho (Ismael). Deus faz aliança com Abrão (pai de muitas gentes) e muda o seu nome para Abraão (mudar no nome significava assumir uma missão dada por Deus) e de Sara para Sarai, dando a Sara um filho (Isaac, que quer dizer risadinha, pois Sara sorriu quando Deus disse-lhe que teria um filho), que passaria a ser o chefe das nações, pois era necessário alguém para assumir a descendência. Deus destrói Sodoma e Gomorra (cidades contaminadas com o pecado). Deus fez de Ismael uma grande Nação.
Deus pede a Abraão o seu filho Isaac em sacrifício, em holocausto. Abraão aceita, leva dois cervos, Isaac, a lenha e o cutelo. Isaac pergunta aonde está o cordeiro que seria sacrificado e Abraão responde que Deus providenciará. No momento do holocausto, o anjo de Deus impede dizendo que Abrão  temia a Deus.
Sara morre. Abraão entrega Isaac a Eliezer(servo) e pede para que eles encontrem na sua terra uma esposa para Isaac. Eliezer partiu para a Mesopotâmea e diante de um poço onde as donzelas iam buscar água, pediu a Deus que aquela que primeiro fosse ao poço e lhe servisse água, que fosse a escolhida. Rebeca foi a escolhida. Foi levada até Isaac, casam-se e tem Esaú e Jacó.
Esaú nasceu primeiro. Era peludo. Jacó nasceu depois (eram gêmeos). Esaú tornou-se caçador e Jacó habitava nas tendas (pastor). Rebeca amava mais a Jacó. Jacó queria a primogenitura, pois dava-lhe o direito de ser herdeiro da Aliança. Fez um cozinhado e Esaú, chegando cansado, pediu a comida e Jacó deu-a em troca da primogenitura. Isaac, na velhice, sem visão, pede a Esaú para caçar algo e trazer afim de dar-lhe a benção. Rebeca ouve o conversa, vai até Jacó, prepara os cabritos, veste Jacó com as roupas de Esaú e coloca as peles dos cabritos na sua mão, pois Esaú era peludo, e vai até o Pai. “Esta voz é de Jacó, mas as mãos e o cheiro são de Esaú, disse Isaac”. Deu-lhe a benção, estranhando a rapidez da caça, mas Jacó disse que foi Deus quem providenciou. Esaú volta da caça e se decepciona e vinga a morte de Jacó que foge para Mesopotâmia. Jacó tem duas mulheres: Lia e Raquel. Com Lia tem dez filhos e com Raquel tem dois filhos (José e Benjamim).
Em sonho, Jacó luta com o anjo pedindo a benção, e este pergunta o seu nome e muda-o para Israel (nova missão). José era o mais amado por Jacó (Israel). Isso causou inveja nos outros e, para acabar com José, os outros irmãos o jogaram numa cisterna, depois o venderam aos Israelitas que o levaram para o Egito.
José foi vendido a Putifar, General dos Exércitos. Seus irmãos  pegaram sua túnica e mancharam-na de sangue e levaram-na ao Pai Jacó, dizendo que uma vera havia devorado José. José, no Egito, agradou a Putifar que o fez Superintendente. A esposa de Putifar gostou de José mas este não a quis. Ela armou uma cilada, largou o  seu manto na mão de José  dizendo a Putifar que aquele Hebreu havia zombado dela. José foi jogado na prisão. Na prisão, interpretou sonhos do copeiro-mor e do padeiro-mor. O copeiro seria solto e voltaria ao seu ofício junto a Putifar. O padeiro seria decapitado. O Faraó teve sonhos de que sete vacas gordas eram engolidas por sete vacas magras. O copeiro lembrou-se de que havia combinado com José que o ajudaria. José foi levado ao Faraó para interpretar os sonhos (sete anos de fartura e sete anos de fome). Recomendou ao Faraó que guardasse mantimentos nos sete anos de fartura para comer nos sete de fome. José foi declarado Superintendente do Egito.
Vem a fome e Jacó manda buscar comida no Egito. Vão os dez irmãos e fica apenas o mais novo (Benjamim), cuidando de Jacó. José, ao ver os irmãos no Egito, reconhece-os. É duro e pede o irmão mais novo. Acusa-os de espias (espiões). Prende um dos irmãos, Simeão. Dá comida a eles, mas em troca, quer o irmão mais novo. Eles voltam, levam Benjamim até José. Este os deixa partir, ,mas coloca uma taça de prata na bolça de Benjamim e os acusa de ladrões. Depois de chorarem e dizerem que o Pai morreria se não voltassem, José fala a verdade sobre si e pede a presença do Pai Jacó. O Pai, ao vê-lo, diz: “agora morrerei contente”.
Levantou-se um novo rei no Egito que não conhecia José e, temendo aumentar o povo de Israel, pede que mate todos os recém-nascidos. Levi, da descendência de Israel e sua esposa tiveram um filho, colocaram-no num cesto e o jogaram no rio. A filha do Faraó vinha lavar-se no rio e achou o menino. Uma Hebréia alimentou o menino e depois o devolveu-o à filha do Faraó que o adotou como filho e pôs o nome de Moisés (nascido da água).
OS HEBREUS NO EGITO (1250-1200 a.C.). Moisés foge para não ser morto. Deus fala com Moisés dizendo-lhe que libertasse o povo da escravidão do Egito (Êxodo). Moisés vai até o Faraó e pede a libertação do povo. Este recusa e Moisés mostra as dez pragas (magicas, rãs, gafanhotos, ... morte dos primogênitos). O Faraó perde o filho e deixa o povo partir. É o Êxodo, é a Páscoa. O povo foge, atravessa o mar vermelho. O Faraó se arrepende, manda as tropas, mas estas são engolidas pelo mar. Começa a caminhada pelo deserto do Egito. Deus institui o Decálogo (Ex 20, 1-2). O povo passa necessidade no deserto. Moisés duvida de Deus (Deus faz sair água da rocha), e Deus diz a Moisés que ele não atingiria a terra prometida (Canaã). Moisés morre quando estava avistando as montanhas da terra prometida e Josué, seu assistente, assume e consegue chegar à  terra prometida.
OS JUÍZES (1200-1050 a.C.). Morre Josué e assumem os Juizes (Otoniel, Aod, Débora, Gedeão, Abimelec, Jefté, Sansão..., Samuel foi o último). Surgem guerras pela ocupação, governadas pelos Juízes. Canaã é conquistada. O povo de Israel exige que seja ungido um Rei.
A MONARQUIA (1050 - 586 a.C.). Assumem os reis (Saul, Davi, Salomão). Motivos por que o povo pede rei: A natureza carismática da realeza - o Rei é escolhido por Deus, ungido pelo profeta e possuído pelo Espírito de Deus; Os livros “ Históricos” são de caráter religioso: Deus dirige os destinos do Povo de Israel. Sucessos: sinal de que Deus está com o Rei porque ele age de acordo com o Plano de Deus. Insucessos/derrotas: Deus abandona o seu “Ungido” porque é infiel ou para castigar a infidelidade do Povo.
SAUL: ungido por Samuel como Rei em 1030 aC até 1010 aC (aproximadamente). Foi um Rei fraco. Não mereceu a confiança  do povo nem as bênçãos de Deus. Morre numa batalha com os Filisteus.
DAVI: O mais importante Rei. Uniu o povo (havia muitos que não concordavam com Saul). Foi soldado de Saul (ver Davi e Golias). Conquistou Jerusalém que passou a ser Capital do Reino de Israel. Escreveu a maioria dos Salmos da Bíblia.
SALOMÃO: Filho de Davi. Era grande diplomata e administrador (cobrava altos impostos). Era conhecido pela grande riqueza e sabedoria. Começou a contrução do Templo de Jerusalém. Nesse período, começou a escrita da Bíblia. Devido a altos impostos que cobrava para manter o luxo da corte, o povo se dividiu logo após a morte de Salomão (Divisão do Reino - Cisão - Cisma). Salomão morre e seu filho Roboão assume.
REINO DO NORTE (ISRAEL): capital - Samaria. 10 tribos. O Rei era Jeroboão. Betel e Dan eram o centro do culto. Introduziu o povo ao culto de falsos deuses.
REINO DO SUL (JUDÁ): capital - Jerusalém. Tribos de Judá e Benjamim. O Rei era Roboão. O Templo era o centro do culto.
Começa o período dos profetas: homens escolhidos por Deus para vigiar o Povo. Denunciarem os desvios da Lei; dar esperança anunciando a vinda do Messias; lembrar ao Povo a fidelidade de Deus.
QUEDA DO REINO DO NORTE (ISRAEL) 722 a.C. : tomada pelos Assírios com deportação de muitos Judeus pelos Assírios. Samaria passa a ter uma população “mista de Judeus e pagãos”.
QUEDA DO REINO DO SUL (JUDÁ) 586 a.C.: tomada por tropas de Nabucodonosor; destruição do templo; morreram muitos Judeus; foram deportados os melhores elementos do Povo: nobres, artistas, sacerdotes.
EXÍLIO DA BABILÔNIA (586 - 538 a.C.). Durou quarenta e oito anos. Os Judeus não eram escravos. Tinham relativa liberdade. Os Babilônios queriam, no entanto, impor-lhes a fé nos seus ídolos. Crise de fé. O profeta Ezequiel ajuda o povo a superar a crise.
A VOLTA DO EXÍLIO (538 - 4 a.C.). Em 539, Ciro, Rei Persa, conquista a Babilônia, permitindo a volta dos exilados Judeus para Judá (domínio Persa). Esdras(sacerdote e escriba) e Neemias(governador) foram personagens fundamentais na restauração da comunidade de Israel.
GUERRA DOS MACABEUS: Alexandre Magno, senhor da Grécia, domina sobre a Palestina. Abusos dos governantes revolta o povo que parte para a luta. Os Macabeus dominam a região até serem dominados pelo império Romano em 49 aC, transformando a terra judaica em Província Romana.
Em 5 aC, nasce Jesus Cristo. Em 70 d.C., Jerusalém e o Templo são destruídos pelo General Tito. Os Judeus espalham-se por diversos países (Diáspora).Em 1948, a ONU cria o Estado de Israel.

               QUESTÕES SOBRE O ENCONTRO  A HISTÓRIA DE ISRAEL
1) Quem Deus escolheu para iniciar o seu povo? R. Abraão.

2) Qual o nome do filho de Abraão que o substitui na liderança do povo de Deus? R. Isaac.

3) Quantos filhos teve Isaac e quais são? R. Esaú e Jacó.

4) Dos filhos de Isaac, um se destacou tornando-se herdeiro da Aliança. Quem foi? R. Jacó.

5) Jacó teve seu nome mudado. Qual foi o nome que recebeu? R. Israel.

6) Através de seus 12 filhos, Jacó emigrou para o Egito, onde seus descendentes se multiplicaram, tornando-se um povo numeroso. O que aconteceu com este povo? R. Foi escravizado pelos Egípcios.

7) Deste povo oprimido surge um libertador enviado por Deus. Quem foi este libertador? R. Moisés.

8) Moisés guia seu povo, atravessa o Mar Vermelho, escapa da escravidão em buca da terra prometida. Qual era esse lugar? R. Canaã.

9) O “Êxodo”,  que quer dizer saída, era comemorado pelo Judeu com uma grande festa. Qual o nome data festa? R. Páscoa.

10) No Monte Sinai, Deus renova a Aliança e entrega a Moisés uma lei. Qual é esta lei? R. Os dez mandamentos (Decálogo).

11) Ao se aproximar da terra prometida, Moisés morre. Quem o substitui? R. Jusué.

12) Chegando em Canaã, os Israelitas tiveram que conquistar a terra através do que? R. Guerras.

13) Israel foi governada por chefes. Qual o nome dado a esses chefes? R. Juizes.

14) Dos doze Juizes, quem foi o primeiro e quem foi o último? R. Josué e Samuel.

15) Dos doze Juizes, uma mulher mereceu destaque. Quem foi? R. Débora.

16) Segundo a Bíblia, quais os principais juizes? (cite ao menos quatro) R. Sansão, Jefté, Gedeão, Débora, Barac, Samuel

17) Quem foi o primeiro rei de Israel? R. Saul.

18) Quem foi o mais importe rei de Israel? R. Davi.

19) Qual o nome do filho de Davi que deu continuidade à sua obra? R. Salomão.

20) Salomão teve sucesso, conseguiu enriquecer o país. Ele construiu algo importante para a vida religiosa dos judeus. O que foi que ele construiu? R. O Templo de Jerusalém.

21) Após a morte de rei Salomão, o que aconteceu? R. A divisão do reino.

22) Quais eram os reinos e as capitais? R. Ao Norte, o Reino Israel com a capital Samaria. Ao Sul, o Reino de Judá com a capital Jerusalém.

23) A divisão do reino fortaleceu o povo? Porque? R. Não, pois houve separação.

24) A capital do Reino do Norte (Samaria) foi tomada pelos Assírios. O que aconteceu com os Israelitas? R. Foram deportados em massa.

25) Quem ocupou a terra dos israelitas? R. Colonos da Babilônia.

26) O Reino do Sul também foi invadido. Quem o invadiu? R. Tropas Babilônicas.

27) Quem era o Rei dos Babilônicos? R. Nabucodonosor.

28) O que as tropas de Nabucodonosor fizeram com Jerusalém? R. Destruiu o Templo e também o ânimo daquele povo. Foi a pior crise do povo de Deus.

29) Graças à obra dos profetas e sacerdotes, o povo de Deus conseguiu superar mais uma crise. A apostila cita em especial um sacerdote. Quem é? R. Ezequiel.

30) O Exílio se torna motivo de que em relação à fé? R. Renovação e purificação.

31) Quem é o misterioso “Servo de Senhor” que um grande profeta preconisa para a libertação de pecado? R. O Messias.

32) Em 539 a.C., Ciro, Rei da Pérsia permitiu que os exilados voltassem para sua terra, agora reduzida a Judá. Daí em diante, todos os Israelitas passaram a ser chamados como? R. Judeus.

33) Qual era a grande tarefa ao voltar para Judá? R. A reconstrução material e espiritual.

34) O domínio Persa durou de 539 a 332. Logo depois veio o domínio dos Gregos com Alexandre Magno (332 a 167). De 167 a.C. até quando, o povo judeu viveu em liberdade? R. Até 49 a.C., quando os Romanos conquistaram Jerusalém.

35) No final deste período 5 a.C., qual foi o grande acontecimento? R. Nasceu JC.
36) Quem destruiu Jerusalém no ano 70 d.C., causando matança dos Judeus e acabando com o Templo? R. General Tito.

37) Na época de destruição de Jerusalém, os Judeus que escaparam, se espalharam pelos diversos países do mundo. Como ficou conhecido esse período? R. Diáspora ou Dispersão.

38) Qual a situação dos judeus durante os 1900 anos?  De quem eles receberam ajuda para a criação do moderno estado de Israel? R. Estavam despatriados (sem pátria). Receberam ajuda da ONU.

JOGO DE PALAVRAS:
PATRIARCAS - ABRAÃO - ISAAC - JACÓ - JOSÉ - 12 TRIBOS - ESCRAVIDÃO -
MOISÉS - ÊXODO - 10 MANDAMENTOS - JOSUÉ - CONQUISTA DE CANAÃ -
JUÍZES - MONARQUIA - SAUL - DAVI - SALOMÃO - DIVISÃO DO REINO -
PROFETAS - QUEDA DO REINO - EXÍLIO DA BABÍLÔNIA - EDITO DE CIRO -
RECONSTRUÇÃO - ESDRAS/NEEMIAS - GUERRA MACABEUS - DOMINAÇÃO

ROMANA - ERA CRISTÃ.