quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Homilia Diária - Evangelho Mc. 8,22-26.

A Palavra de Jesus, nos Cura de Toda Cegueira

O tema da cegueira é bastante central na missão de Jesus. Não há dúvida de que, entre as curas, as mais relevantes devolveram a visão aos cegos. Na tradição judaica, “abrir os olhos” era a cura messiânica por excelência, o sinal para a identificação do verdadeiro Messias, segundo a tradição profética.

Quem se encontra na cegueira não vê nada. Só é possível ver quando se é tocado pela saliva e pela Palavra de Jesus Cristo, pela fertilidade da Água Viva.
Somos vitimados pelas mais diversas cegueiras. Não vemos nem sequer a maior das certezas: a realidade da morte fruto do pecado. E vivemos muitas vezes como se fôssemos “imortais”. O mistério da vontade divina é o seu desejo de salvação para todos (cf. Ef 1,9).
Somos cegos e devemos aceitar nossa condição humana: não vemos a luz. Aceitar também, sem contestação, que o sopro e a Palavra de Jesus, que estão por detrás da saliva, habitem nosso pó, sinais da presença de Cristo, de nossa divinização e da fonte da nossa salvação. Jesus, ao cuspir e passar a saliva nos olhos do homem, ao pôr a mão sobre ele e perguntar se ele via alguma coisa, nos convida a mergulhar em nossa condição humana e suas racionalidades com uma nova consciência. Só n’Ele, por Ele e com Ele conseguimos enxergar perfeitamente o caminho que nos leva ao Pai.
Agora lavados com e pela saliva de Jesus, temos os nossos olhos abertos. Vemos, sabemos e conhecemos o que nos pode matar. E para tal já não podemos voltar para o povoado. Povoado, aqui, quer dizer voltar para a vida de pecado que gera a nossa morte e a perdição dos nossos.
Padre Bantu Mendonça




Nenhum comentário:

Postar um comentário