segunda-feira, 11 de junho de 2012

VIDA EM SANTIDADE

                     

                                                      Sobre a vida de Sant´Ana

Da vida da mãe de Maria Santíssima nada sabemos ao certo. Apenas a tradição cristã nos fornece alguns esclarecimentos a respeito de sua mãe, Sant’Ana, dados, cujo valor histórico não é possível apurar. Nem mesmo as Sagradas Escrituras nos diz algo, contudo, existe um livro venerável do século II do Cristianismo: Proto-Evangelho de São Tiago, que alcançou grande autoridade nas comunidades cristãs primitivas. É exatamente este livro que nos traz a mais antiga tradição sobre os pais de Nossa Senhora.
Diz a tradição antiqüíssima que Sant’Ana nasceu em Belém de Judá, tendo por pai, Mathan, sacerdote da tribo de Levi e da família de Araão; e por mãe, Maria, da tribo de Judá. Teve esse piedoso casal três filhas.

  1. A mais velha chamava-se Maria, como sua mãe, e veio a ser mais tarde esposa de Cleophas, de Sadoc e de Eli e foi mãe de Tiago Menor, Judas Tadeu, Simão e José, apóstolos ou discípulos de Cristo, que segundo o costume hebraico, se chama no Evangelho «irmãos do Senhor», quando de fato eram primos irmãos.

  2. A Segunda filha foi Sobé.

  3. A terceira e mais nova, enfim, foi Ana, destinada a dar ao mundo a Bem-aventurada entre as mulheres.
    Por inspiração de Deus casou-se com Joaquim, habitante de Nazaré, da família real de Davi. O nome Joaquim é bíblico e, significa: “homem que Javé confirma”.
    Joaquim e Ana eram um casal distinto, mas viviam tristes e humilhados porque já estavam chegando à idade avançada e eram estéreis. Sendo também um casal justo e observante das leis judaicas. Possuíam certa fortuna que lhes proporcionava uma vida folgada. Dividiam suas rendas anuais em três partes:

  • uma era conservada para as próprias necessidades;

  • a segunda era reservada para o culto judaico e, finalmente,

  • a terceira parte era distribuída entre os pobres.

Eles continuavam rezando confiantes que Deus teria suscitado para eles uma descendência. Joaquim retirou-se ao deserto para rezar, onde permaneceu quarenta dias em jejum e oração.
Finalmente, um anjo apareceu a Joaquim comunicando-lhe uma boa notícia:

“ – Joaquim, disse o anjo, tua oração foi ouvida. Uma filha te será dada, a quem darás o nome de Maria”.

Também Ana recebeu um aviso do anjo:

“  – Ana, Ana, o Senhor darás à luz e, por toda a terra, falar-se-á de tua descendência”.

Ao voltar Joaquim para casa, eis que sua esposa atirou-se em seus braços exclamando cheia de alegria:

‘Agora sei que o Senhor derramou sua bênção sobre o nosso lar; pois eu era como uma viúva, era estéril, mas agora meu seio já concebeu, seja bendito o Altíssimo!’

Então, fez o voto de consagrar a menina prometida por Deus ao serviço do Templo.
De fato, a menina (Maria) foi levada mais tarde pelos pais, Joaquim e Ana, para o Templo, onde foi educada, ficando aí até o tempo do noivado com José.
No ano da anunciação, já era falecida Sant’Ana, tendo alcançado uma idade de 79 anos, como refere a tradição. Foi sepultada junto de seu esposo. Muitos anos depois, transferiram as suas relíquias para a Igreja do sepulcro de Nossa Senhora, no vale de Josaphat.
O Calendário Litúrgico da Igreja Romana comemora no dia 26 de julho a memória de São Joaquim e Sant’Ana. No entanto, o culto deles foi difundido na Igreja desde o século VI. Começou no Oriente e depois passou para a Igreja Romana. Neste caso, a devoção foi muito mais popular. Ela difundiu-se, sobretudo, nos povos nórdicos, onde o nome Ana é mais usado. Também no Brasil, o culto a Sant’Ana é muito conhecido. Antes, ela mereceu o título que só é reservado à sua Filha, isto é, Senhora Sant’Ana.


Sant'Ana, mãe da Santíssima Virgem Maria e esposa de São Joaquim, vem sempre acompanhada de sua filha. Nesta representação, as duas caminham de mãos dadas e Nossa Senhora segura seu livro.

                             ORAÇÃO À SANT'ANA:

Senhora Santa Ana, que fostes chamada por Deus a colaborar na salvação do mundo e seguindo os caminhos da Providência Divina e que recebestes São Joaquim por esposo e deste matrimonio vivido em santidade, nasceu Maria Santíssima, Mãe de Jesus Cristo, confiantes pedimos por nossa família.

Aos pais desta família que vivam na santidade do matrimônio e formem seus filhos segundo o evangelho.

Aos filhos, que cresçam em sabedoria, graça e salvação.

A todos que sejam guiados sempre pelo Espírito Santo, para que um dia, após as alegrias e tristezas desta vida, possam chegar à casa do Pai e juntos sermos eternamente felizes, Amém.




Nenhum comentário:

Postar um comentário