terça-feira, 21 de maio de 2013

Santíssima Trindade - Evangelho João 16,12-15

Neste quadro a SANTÍSSIMA TRINDADE é representada:
No centro por um grande triângulo no qual vemos Deus Pai sobre o globo do mundo, e sustentando os braços da cruz na qual está pregado Seu Filho Jesus. O Espírito Santo, sob o forma de uma pomba, brilha entre o Pai e o Filho para significar que procede do Pai e do Filho.
No alto do quadro, à esquerda, vemos Jesus dando a seus apóstolos, antes de subir ao céu, a missão de ensinar a todos os povos e de os batizar em nome do Pai e do Filho e do Espórito Santo.
À direita, vemos o batismo de Jesus Cristo no qual as três pessoas divinas são manifestadas.
Em baixo do quadro à esquerda, vemos Abraaão recebendo a visita de três anjos. Abraão estava diante de três anjos e, no entanto, saúda um só: "Senhor, diz ele, se encontrei graça diante de vossos olhos, não passeis adiante da casa de vosso servo." E falando assim, Abraão honrava nos três anjos um só Deus em três pessoas.
Em baixo à direita, vemos Santo Agostinho e o menino.

O mistério da Santíssima Trindade é uma das maiores revelações feita por Nosso Senhor Jesus Cristo. Os judeus adoram a unicidade de Deus e desconh
ecem a pluralidade de pessoas e a sua unidade substancial. Os demais povos adoram a multiplicidade de deuses. O cristianismo é a única religião que, por revelação de Jesus, prega ser Deus uno em três pessoas distintas: 

DEUS PAI – Não foi criado e nem gerado. É o “princípio e o fim, princípio sem princípio”; por si só, é Princípio de Vida, de quem tudo procede; possui absoluta comunhão com o Filho e com o Espírito Santo. Atribui-se ao Pai a Criação do mundo.

DEUS FILHO – Procede eternamente do Pai, por quem foi gerado, não criado. Gerado pelo Pai porque assumiu no tempo Sua natureza humana, para nossa Salvação. É Ele Eterno e consubstancial ao Pai (da mesma natureza e substância). Atribui-se ao Filho a Redenção do Mundo.

DEUS ESPÍRITO SANTO – Procede do Pai e do Filho; é como uma expiração, sopro de amor consubstancial entre o Pai e o Filho; pode-se dizer que Deus em sua vida íntima é amor, que se personaliza no Espírito Santo. Manifestou-se primeiramente no Batismo e na Transfiguração de Jesus; depois no dia de Pentecostes sobre os discípulos. Habita nos corações dos fiéis com o dom da caridade. Atribui-se ao Espírito Santo a Santificação do mundo.

O Pai é pura Paternidade, o filho é pura Filiação e o Espírito Santo, puro nexo de Amor. São relações subsistentes, que em virtude de seu impulso vital, saem um ao encontro do outro em perfeita comunhão, onde a totalidade da Pessoa está aberta à outra distintamente. Este é o paradigma supremo da sinceridade e liberdade espiritual a que devem ter as relações interpessoais humanas, num perfeito modelo transcendente, só assim, compreensível ao entendimento humano. É desta forma que devemos conhecer a mensagem a Santíssima Trindade, mesmo sem alcançar os segredos do seu mistério. Desta maneira, devemos nos comprometer a adquirir certas atitudes nas nossas relações humanas. A Igreja nos convida a “glorificar a Santíssima Trindade”, como manifestação da celebração. Não há melhor forma de fazê-lo, senão revisando as relações com nossos irmãos, para melhorá-las e assim viver a unidade querida por Jesus: “Que todos sejam um”.

                                                                           
                   

                   
                                                                                 

                                                                               




Nenhum comentário:

Postar um comentário