terça-feira, 30 de julho de 2013

Agosto, o Mês Dedicado às Vocações.

Neste mês a Igreja celebra as vocações: sacerdotal, diaconal, religiosa, familiar e leiga. É um mês voltado para a reflexão e a oração pelas vocações e os ministérios, de forma a pedir a Deus sacerdotes que sejam verdadeiros pastores e sinais de comunhão e unidade no seio da Igreja.
Não fostes vós que me escolhestes; fui eu que vos escolhi ..."
                                             (Jo 15,16)

Instituído na 19ª Assembléia Geral da CNBB em 1981, o Mês Vocacional tem como objetivos conscientizar as comunidades da responsabilidade que elas compartilham no processo vocacional. Presente na maioria das paróquias, a Pastoral Vocacional tem buscado celebrar este mês com animação e criatividade tendo sempre por fim suscitar novas vocações.

Durante o mês cada domingo é reservado para a reflexão e celebração de uma determinada vocação
Primeiro Domingo – Vocações Sacerdotais – Dia do Padre
   
O sacerdote age em nome de Cristo e é seu representante dentro daquela comunidade. Ao padre compete ser pastor e pai espiritual para todos sob sua responsabilidade. Pela caridade pastoral, ele deve buscar ser sinal de unidade e contribuir para a edificação e crescimento da comunidade de forma que ela torne-se cada vez mais atuante e verdadeira na vivência do Evangelho.

Segundo Domingo – Vocação Familiar – Dia dos Pais
Neste  domingo  celebramos a  vocação  da família na pessoa do pai.   Em  tempos de violência e perda de valores, a valorização da família é essencial para a sociedade  como  um  todo. A família  é chamada por  Deus a ser  testemunha  do amor e da fraternidade, colaboradora da obra da Criação.
O Pai na família é fundamental. Seu papel de educador, em colaboração com a mãe, é um dos pilares da unidade e bem estar familiar cujos frutos são filhos bem formados e conscientes do que significa ser cristão e cidadão. O pai é representante legítimo de Deus perante os filhos e é sua missão conduzi-los nos caminhos de Cristo, da verdade, da justiça e da paz. Cabe aos pais que o amor, compaixão e harmonia reinem no lar.
Terceiro Domingo – Vocações Religiosas – Dia da Vida Religiosa

No terceiro domingo do mês vocacional, a Igreja lembra dos religiosos. Homens e mulheres que consagraram suas vidas a Deus e ao próximo. Desta vocação brotam carismas e atuações que enriquecem nossas comunidades com pessoas que buscam viver verdadeiramente seus votos de castidade, obediência e pobreza. São testemunhos vivos do Evangelho.
Perseverantes, os religiosos estão a serviço do Povo de Deus por meio da oração, das missões, da educação e das obras de caridade. Com sua vida consagrada, eles demonstram que a vida evangélica é plenamente possível de ser vivida, mesmo em mundo excessivamente material e consumista. São sinais do amor de Deus e da entrega que o homem é capaz de fazer ao Senhor.

Quarto Domingo – Vocações Leigas - Dia dos Ministérios Leigos

Neste dia celebramos todos os leigos que, entre família e afazeres, dedicam-se aos trabalhos pastorais e também missionários. Os leigos atuam como colaboradores dos padres na catequese, na liturgia, nos ministérios de música, nas obras de caridade e nas diversas pastorais existentes.















Ser leigo atuante é ter  consciência do chamado de Deus a participar ativamente da Igreja e do Reino contribuindo para a  caminhada  e  o  crescimento  das comunidades rumo a Pátria Celeste.. Assumir  esta vocação  é doar-se  pelo Evangelho  e  estar junto a Cristo em sua missão de salvação e redenção.
   
Dia do Catequista

Nos anos em que o mês de agosto possui cinco domingos, a Igreja celebra neste dia o ministério do Catequista. Os catequistas são, por vocação e missão, os grandes promovedores da fé na comunidade cristã preparando crianças, jovens e adultos não só para os sacramentos, mas também para darem testemunho de Cristo e do Evangelho no mundo.  
EXPO-VOCACIONAL – S.A.V.:
Dia 31 de agosto após a Missa da 19h30m teremos no salão paroquial a realização da Expo-Vocacional promovido pelo SAV com teatro e exposição dos catequizandos sobre vocação.              
                                                                       

 


quinta-feira, 11 de julho de 2013

São Bento de Nórcia

Recebemos da tradição cristã o relato de que Bento viveu entre os anos de 480 e 547. Nasceu na cidade de Nórcia, na Itália. Pertencia à influente e nobre família Anícia e tinha uma irmã gêmea chamada Escolástica, também fundadora e Santa da Igreja.

Era ainda muito jovem quando foi enviado a Roma para aprender retórica e filosofia. No entanto, decepcionado com a vida mundana e superficial da cidade eterna, retirou-se para uma vida ascética e reclusa, passou a se dedicar ao estudo da Bíblia e do cristianismo.

Ainda não satisfeito, isolou-se numa gruta do Monte Subiaco. Assim viveu por três anos, na oração e na penitência, estudando muito. Depois, se agregou aos monges de Vicovaro que logo o elegeram seu prior. Mas a disciplina exigida por Bento era tão rígida, que estes monges indolentes tentaram envenená-lo.

Bento abandonou então o convento e no sopé do Monte Cassino construiu o seu primeiro mosteiro. O símbolo e emblema que escolheu foram “ora e labora” (reza e trabalha) e a cruz e o arado passaram a ser o exemplo da vida católica dali em diante.

Deste modo, se estabelecia o ritmo da vida monástica: o justo equilíbrio, do corpo, da alma e do espírito, para manter o homem em comunhão com Deus. Ainda, registrou que o monge deve ser: "não soberbo, não violento, não comilão, não dorminhoco, não preguiçoso, não detrator, não murmurador".

Este monge propôs um novo modelo de homem: aquele que vive em completa união com Deus, através do seu próprio trabalho, fabricando os próprios instrumentos para lavrar a terra. Celebrado pela Igreja no dia 11 de julho, São Bento foi declarado patrono principal de toda a Europa, pelo Papa Paulo VI em 1964.

Reflexão:

Bento, modelo de santo, foge da tentação para levar uma vida de atenção à presença de Deus. Através de um esquema equilibrado de vida e oração chegou ao ponto de se aproximar da glória de Deus. Seu lema "ora et labora" ("reza e trabalha"), não perdeu ainda hoje a sua importância e eficácia como desafio e modelo de santidade perfeita.

Oração:

Glorioso São Bento, conhecido por vossa santidade e sabedoria, amparai os eremitas que hoje vivem na procura de uma íntima comunhão com Deus. Dai-lhes força em seus combates espirituais e a graça de perseverarem até o fim, no caminho da santidade. Por Cristo Nosso Senhor. Amém.

Fonte: Catequisar.

segunda-feira, 1 de julho de 2013

FÉRIAS DE JULHO

O mês de julho,  é o mês de férias escolares !!!

A catequese, por sua vez, acompanha as férias escolares, já que muitas crianças viajam com seus pais e por isso mesmo a frequência seria mínima nesse período. 
Então Aproveitando as férias deixo uma historinha que pode ajudar em casa com a família ou na catequese infantil, sobre a real importância do dízimo.



Férias de Julho na Catequese - criança não pode esquecer de brincar, correr, pular, visitar amigos e parentes, jogar vídeo-game, andar de patins, jogar bola, viajar com a família, etc.E criança que ama Jesus, nas férias não pode esquecer de participar da Santa Missa, ajudar as pessoas, obedecer os pais ou responsáveis, rezar todos os dias e fazer o bem a todos. Um abraço Fraterno à todos!
                                                                              
BOAS FÉRIAS!!!!!!!!!!!!
O SENTIDO DAS FÉRIAS PARA O CRISTÃO

Enfim, férias, praia, serra, sítio, não importa, é tempo de descansar, curtir o verão, levar a família pra passear nas feirinhas que toda praia tem.
É hora de preparar o corpo para ficar magrinho, fazer bonito com os trajes de banho, sem esquecer do filtro solar.
E Deus, onde entra nisso tudo? Será que tiramos férias d'Ele também? É raro, nós cristãos que vamos nas localidades onde descansamos, procurarmos uma igreja. Procuramos, sim, um lugar onde vende lembranças, como aquelas camisas que vem escrito, “Fui a Guaraparí e lembrei-me de você”.

Vamos lembrar de Jesus, nos divertir sim, mas não tirar férias de Deus. Vamos a igreja fazer nossas orações de todo dia, nos comportarmos como pessoas religiosas, sem bebedeiras, com respeito ao próximo, lermos a bíblia, darmos o exemplo, porque não é pecado nos divertimos, mas com moderação.
Não devemos deixar Jesus de lado, seus ensinamentos, para que nossas férias sejam santas, brincando, levando a família para o descanso merecido, porque ninguém é de ferro.
Com Jesus e Nossa Senhora sempre na frente, nos guiando nas estradas, estando com a gente sempre em qualquer situação. Se nos nossos problemas clamamos por Deus, porque não na hora do lazer?
Por Silvana Venâncio
Publicado originalmente no Informativo Paroquial "Ide a José" Jan/2015