segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Matrículas e Rematrículas para a Catequese 2014


A Catequese vai começar em breve!
Por isso não deixe para última hora! 
Reserve a vaga do seu filho (a).
Entre em contato com a secretária da Paróquia São Vicente Pallotti 
Arapongas-PR.
                          CAPA PARA CADERNO DA CATEQUESE:
                                                                           
                                                                                   


INICIO DA CATEQUESE:

Informamos que o reinício da catequese será no dia 22 de fevereiro às 13:30 horas para todas as turmas e etapas na Paróquia São Vicente Pallotti.
                                                                              

sábado, 25 de janeiro de 2014

Conversão de São Paulo


Em 25 de janeiro a Igreja celebra a festa litúrgica da conversão de São Paulo. Esta conversão é a mais significativa de toda a história da Igreja, tanto pela transformação radical desse homem, como pelas conseqüências que desencadeou.
O Evangelista Lucas menciona três vezes a conversão de Paulo no livro dos Atos dos Apóstolos (capítulos 9, 22 e 26): No capítulo 9 há uma narrativa na visão do Evangelista, e no capítulo 22 o Evangelista apresenta a história da conversão sendo contada pelo próprio Paulo em um discurso aos judeus, já no capítulo 26 trata-se do discurso de Paulo feito ao Rei de Agripa.
Em resumo, trata-se da história de um homem chamado Saulo – que era um severo perseguidor de cristãos – que encontra-se face a face com Jesus Cristo vivo e ressuscitado. O Senhor o interpela, pergunta por qual motivo ele O persegue: “Saulo, Saulo, por que me persegues?” (At 9, 4). Confuso, Saulo fica cego e é conduzido a Damasco. Em Damasco Saulo encontra-se com Ananias que lhe comunica a missão à qual é destinado. Saulo aceita a missão, recupera a visão e é batizado. Desde então Saulo passa a ser Paulo, missionário do Cristo vivo.
É no capítulo 26 que identificamos a melhor descrição da missão de Paulo, pois nela identificamos a conversão que se transforma em vocação. “Saulo, Saulo, por que me persegues? Dura coisa te é recalcitrar contra o aguilhão. Então eu disse: Quem és Senhor? O Senhor respondeu: Eu sou Jesus, a quem persegues. Mas levanta-te e põe-te de pé, pois eu te apareci para te fazer ministro e testemunha das coisas que viste e de outras quais hei de manifestar-me a ti. Escolhi-te do meio do povo e dos pagãos, aos quais agora te envio para abrir-lhes os olhos a fim de que se convertam das trevas à luz e do poder de Satanás a Deus, para que, pela fé em mim recebam perdão dos pecados e herança entre os que foram santificados.” (At 26, 14-18)
São Paulo é exemplo de fidelidade a Cristo preferindo a morte a negá-Lo diante de quem quer que seja: Para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro” (Fil 1, 21). Sua vida destinou-se a pregar o Evangelho de Jesus Cristo, sendo testemunha no meio de homens de todas as religiões e culturas diferentes.
Senhor Jesus dai-nos a graça da conversão, retira-nos do meio daqueles que Te perseguem, nos faça seguidores Teus sendo obedientes ao Teu chamado e fiéis no anúncio do Evangelho. Conceda-nos, pela Fé, a reconciliação e o convívio com os Santificados. Reconhecemos a Ti como único caminho de salvação. Amém.

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Paróquia São Vicente Pallotti de Arapongas - 50 Anos em Missão:


Vida de São Vicente Pallotti
          “Tudo para maior glória de Deus”
Pallotti viveu numa época agitadíssima e tumultuada. Seus 55 anos de vida (21 de abril de 1795 — 22 de janeiro de 1850) enquadram-se entre duas trágicas revoluções: a francesa (1789) e a romana (1848).
São Vicente Pallotti é filho de Pedro Paulo Pallotti e de Maria Madalena de Rossi. Que casaram-se em 1790. Tiveram 10 filhos.
Vicente Pallotti veio ao mundo na noite de 21 de abril de 1795. No dia seguinte era batizado na Basílica de São Lourenço, recebendo o nome de Vicente Luiz Francisco. O nome dado a Pallotti, tem como origem e destaque o nome de três grandes santos. Certamente Pallotti fez jus ao nome que recebeu. Vicente (São Vicente Ferrer, que se destaca por ser um homem penitente), Luiz (São Luiz de Gonzaga, sua grande pureza virginal), e Francisco (São Francisco de Assis, por sua pobreza).
Vicente nunca deixou de se penitenciar, jejuar, mesmo sabendo que tinha uma saúde muito frágil.
Pallotti, desde muito novo, demonstrou a sua vocação para a santidade. Apresentou, porém, traços especiais que mostram o seu desejo de servir a Deus como sacerdote. Muitas vezes brincava sozinho, construía altarzinhos e outros objetos religiosos. Seu passeio preferido era levar os irmãos à igreja e, diariamente, seguindo o exemplo de seus pais, não deixava de fazer as suas orações pessoais.
Aos seis anos inicia os seus estudos escolares.
Em 1810, com 15 anos, Pallotti iniciou os seus estudos seminarísticos. Devido à Revolução Francesa, que causou o fechamento de muitos seminários, ele fez todos os seus estudos eclesiásticos vivendo com os seus pais.
No dia 15 de abril de 1811, com 16 anos, Pallotti recebeu a tonsura clerical, recebendo, assim, também o direito de usar o hábito eclesiástico, hábito que buscou fazer de pano grosseiro e não de seda, como muitos clérigos.
Com 21 anos, após um longo retiro na casa de Retiros dos Padres Lazaristas no Monte Cítório, no dia 21 de setembro de 1816, recebe a ordem do Subdiaconato.
Foi durante esse período que Pallotti inicia o seu Diário Espiritual, onde apresenta todos os seus desejos, propósitos, aspirações e o seu diálogo com o Criador. Nele Pallotti cita a sua indignidade de receber esta ordem, mas acredita no amor e na piedade de Deus. O período dos escritos vão de 1816 até 01 de dezembro de 1849.
No dia 30 de setembro do ano seguinte, recebe a ordem do Diaconato. E inicia assim a preparação para a ordenação sacerdotal.
No dia 16 de Maio de 1818, com 23 anos de idade, foi ordenado sacerdote da diocese de Roma, na Basílica de São João de Latrão, em Roma. Sua primeira missa foi na igreja de Jesus, em Frascati.
Morou com os seus pais até a morte de ambos (a mãe 1827 e o pai 1837), quando se mudou para a igreja do Espírito Santo, dos napolitanos; mais tarde foi para a igreja de San Salvadore in Onda, onde já se encontrava o centro da sua Obra, a Pia União.
Pallotti foi orientador espiritual, confessor (inclusive do papa), pregador de retiros, professor, capelão de hospitais, presídios e quartéis, orientador de orfanatos, colaborador de missões, auxiliou e organizou várias obras e casas de caridade, enfim, teve um ardor apostólico incansável. Pode-se pensar que Pallotti, pelas várias atividades que desenvolveu, tenha sido um ativista, porém, ele tinha um grande companheiro de trabalho e inspirador, Jesus Cristo, a quem ele todos os dias sabia entregar o seu trabalho.
Certo dia, voltando de uma longa jornada de atendimento de confissões, encontrou um mendigo na rua passando frio; retirou o seu manto e o deu ao mendigo. Como conseqüência, acabou contraindo um forte resfriado, que resultou em um ataque pulmonar.
No dia 22 de Janeiro de 1850, às 22h 45 min, junto com seus irmãos de Congregação, morreu Vicente Pallotti, com 55 anos incompletos.A notícia se espalhou rapidamente por toda Roma e uma grande multidão de pessoas, de todas as classes e lugares de Roma, chorou pela morte de um santo.





Beatificação e canonização
Em 1852 foi instaurado o processo de beatificação de Pallotti. O resultado foi favorável, recebendo, em 13 de janeiro de 1887, o título de Venerável. Iniciou-se, assim, o processo de Beatificação.
Durante a vida buscou sempre se fazer oculto para acentuar a grandeza de Deus. Contudo Deus não desejou o mesmo a Pallotti, pois em 1906, quando se abriu o túmulo de Pallotti, este estava incorrupto.
Para se tornar beato faltavam dois milagres, que com muita facilidade se fizeram conhecidos:
*Cura instantânea de Alexandre Lutri, menino de 9 anos que caiu do corrimão da sua casa batendo a cabeça, fraturando o crânio.
*Cura instantânea de uma mãe de família, Margarida Sandner. Ela tinha uma esclerose difusa que a mantinha numa cadeira de rodas durante dezesseis anos e teve cura instantânea.
A cerimônia de beatificação realizou-se do dia 22 de janeiro de 1950, cem anos após a sua morte.
Depois disso, além de se fazer todo estudo da vida e apostolado cristão de Pallotti, eram necessários mais dois milagres para Pallotti ser reconhecido por toda Igreja como um santo de Deus.
*Cura milagrosa de Ângelo Bolzarani, agricultor, residente em Roccasseca dos Volscos, na Itália. Sofrendo de uma fístula carbunculosa, que o estava levando à morte, ao beijar uma relíquia do santo, em poucos dias se curou.
*P. Adalberto Turowski, na época Reitor Geral dos palotinos. Em 1950, ao ser submetido a uma operação cirúrgica, sofreu uma infecção com insuficiência cardíaca. Sendo desenganado pelos médicos, fez-se uma novena pela intercessão do fundador e em poucos dias estava em casa.
A cerimônia de canonização realizou-se no dia 20 de janeiro de 1963, na basílica de São Pedro, pelo papa João XXIII.
Oração de S. Vicente Pallotti

Meu Deus, amor infinito de minha alma, alimento e sustento eterno, infinito, imenso, incompreensível da minha pobre alma, tu vês quando sou fraco, deformado, chagado, porque não me alimentei de ti, como podia e devia. Ao Contrário, andei alimentando a minha alma de pensamentos, desejos e afetos, todos terrenos, brutais, de morte e de morte eterna e abandonei com horrível ingratidão, a ti, que és o alimento da vida eterna. Concede-me a graça de uma perfeita contrição da minha ingratidão e de todos os meus pecados e a graça de levar uma vida toda desapegada dos prazeres terrenos e toda entregue à prática da santa oração e meditação e fazer a tua santíssima vontade em todos os meus deveres, a fim de manter a minha alma sempre preparada, disposta e apegada a Ti Pai, Filho e Espírito Santo e a todos os teus infinitos atributos e ser eu transformado em Ti de modo que chegue a ser semelhante a ti na glória. Amém. (SV. Pallotti).
                         São Vicente Pallotti - Rogai por nós!

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Grupo Teatral Mãe do Céu de Arapongas-Pr.

Acontecimento maravilhoso que tivemos em nossa cidade.
Dia 25 de Outubro DE 2014 o Grupo Mãe do Céu realizou o 1° Terço Luminoso no Parque das Nações.Na programação teve recreação para as crianças, show mensagem e o Santo Terço e para Honra e Glória do Senhor.
2015 tem mais!                                                        
                                                                                


                                                                        



                                                                   








                                                                   
    










O QUE É ARMADURA? Vocês sabem o que é uma armadura? Armadura é um tipo de roupa especial usada como proteção. Onde aprender sobre a armadura de Deus? No livro de Efésios, capítulo 6, aprendemos a compreender a proteção que Deus nos oferece em nossa luta contra o diabo. Porque precisamos de uma armadura? Porque o diabo é inimigo de Deus e como somos filhos de Deus, ele é nosso inimigo também. A única maneira de derrotá-lo é lutando á maneira de Deus. Somos soldados do exército de Deus. O que fazer com a armadura? Efésios 6:11, Deus nos faz uma promessa: Ele diz que se colocarmos a Sua armadura, a proteção especial que Ele nos deu iremos resistir ao dia mal. Quando o diabo nos atacar com tentações, não iremos ceder e pecar. Seremos capazes de ficar firmes e não cair diante do inimigo. Como é a armadura de Deus? A armadura de Deus é espiritual. Não podemos ver, mas podemos colocarmos em prática na nossa vida diária com Deus. A armadura de Deus é da seguinte forma: O CINTO DA VERDADE - "E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará." João 8:32 Então como vamos usar essa arma? O texto de Efésios 6:14a diz: "Estai, pois, firmes, tendo cingido os vossos lombos com a verdade." Cingir quer dizer rodear, cercar, envolver em torno. Isso quer dizer que devemos estar rodeados pela verdade, envolvidos na verdade, cercados pela verdade. E a verdade é Jesus (João 14:6) e só através d'Ele vamos a Deus. A mentira não pode fazer parte da nossa vida, pois se permitirmos que as “brincadeirinhas”, as “mentirinhas” mesmo que parecem tão pequenas ou insignificantes, tipo: Primeiro de abril!, ou aquelas que costumamos chamar de mentirinha branca: Diz que não estou! E coisas desse tipo, tornamo-nos tão mentirosos como o próprio diabo. Se fizermos o que ele faz, como lutaremos contra ele? Ou por quê? A COURAÇA DA JUSTIÇA - "Somente a justiça seguirás, para que vivas e possuas como herança a terra que o Senhor Deus te dá." Deuteronômio 16:20. A outra arma que o Senhor preparou para nós é a couraça da justiça. Você sabe o que é uma couraça? O dicionário diz que é uma armadura para revestir o peito, um revestimento forte que serve como proteção, é uma blindagem. Lembra da tartaruga, com aquela carapaça? Aquilo é a sua couraça. Quando ela se vê em perigo, recolhe a cabeça e as perninhas para dentro da sua armadura e assim fica segura. Ou até, podemos assemelhar a couraça ao que muitas pessoas estão mandando fazer em seus carros: blindar. Isto é, uma proteção especial nos vidros e em todo o carro para torná-lo resistente a balas ou a outros ataques que possam ocorrer. Entendeu o que é uma couraça? E agora, o que é justiça? É algo que está em conformidade com o direito; é a virtude de dar a cada um aquilo que lhe pertence de direito; é agir dentro da legalidade, da forma correta diante da lei. Muito bem! Vamos agora compreender o que é estar vestido com a couraça da justiça. Se justiça é tudo o que é correto, justo, certo, e couraça é um revestimento que serve para a nossa proteção, o Senhor nos ensina que, se agirmos, em tudo, de maneira correta, de forma justa, sem agredir ou prejudicar ninguém, obedecendo aos mandamentos do Senhor, estaremos protegidos do inimigo, pois ele não terá argumentos contra nós, isto é, ele não terá nada de que possa nos acusar, entendeu? Andar em justiça diante de Deus é não viver em idolatria (Lembre-se que o primeiro lugar das nossas vidas deve ser sempre do Senhor); é saber respeitar os direitos dos outros, sem fazer acepção de pessoas; é dar a cada um o que lhe é de direito: comprou, pague; emprestou, devolva; errou, peça perdão; é respeitar as autoridades. Em resumo, é obedecer aos princípios da Palavra de Deus. A PREPARAÇÃO DO EVANGELHO DA PAZ - "Justificados mediante a fé, temos paz com Deus através de Jesus." Romanos 5:1. - “… e calçados os pés nas sandálias do Evangelho da paz.” Efésios 6:15. Todo guerreiro, ao entrar em uma guerra, deve estar sempre preparado para enfrentar e resistir aos ataques do inimigo e, também, contra-atacar. Não é assim que vemos nos filmes, nos desenhos e até mesmo nos jogos de vídeo-game? Um soldado despreparado, sem armas e sem uma estratégia de guerra é um sério candidato à morte, não é mesmo? Nós vivemos em uma luta constante contra um inimigo que não nos dá descanso. Em todo tempo ele está preparando armadilhas, laços, para nos apanhar de surpresa. Mas o nosso General, o Senhor dos Exércitos, deu-nos um manual de estratégias que se chama Bíblia, onde vamos aprender a usar a armadura que Ele nos deu, conhecendo cada parte dela e a forma correta de lutar. O ESCUDO DA FÉ - "Sem fé, é impossível agradar a Deus" Hebreus 11:6. “ e tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno” Efésios 6:16. Nosso escudo não é um escudo qualquer, feito de aço, ferro ou qualquer um outro elemento físico. A matéria-prima do nosso escudo chama-se FÉ. Garanto que você já viu muitos tipos de escudos nos desenhos, filmes, revistas em quadrinhos, mas nenhum deles é feito de fé. E o que é fé? Segundo o dicionário, é convicção, crédito na existência de um fato. A Bíblia nos dá um outro conceito sobre fé. Em Hebreus 11:1 a Bíblia diz que: "A Fé é a certeza das coisas que se esperam, a convicção dos fatos que não se vêem." Vamos compreender, então, qual á a base do nosso escudo. É crer, é ter certeza e convicção firmes em Deus e nas Suas promessas, mesmo que nossos olhos físicos ainda não estejam vendo. Mas, como vamos utilizar, na prática, uma arma que não vemos? Como vamos nos defender do inimigo se a nossa defesa é invisível? Um dia os discípulos de Jesus lhe pediram: - Aumenta a nossa fé (Lucas 17:6). É realmente difícil lutar com algo que não podemos ver ou tocar, mas esse é o desafio: crer mesmo sem ver. Lembre-se que: "a nossa luta não é contra carne ou sangue, mas contra principados e potestades, contra as forças espirituais da maldade e elas atuam nas regiões celestes" (Efésios 6:13). Então, nossas armas também devem ser espirituais. Eis o segredo: Se tivermos fé, creremos que Deus existe, que a Sua Palavra é verdadeira e se cumpre em nossas vidas. Então, Ele nos presenteará com Seu amor, misericórdia, cuidado, segurança, e tomará as nossas causas, guerreando por nós e em tudo seremos muito mais que vencedores. Por quê? "Porque tudo é possível ao que crê" (Marcos 9:23). O CAPACETE DA SALVAÇÃO - "Nenhuma condenação há, para os que estão em Cristo Jesus" Romanos 8:1. "Tomai também o capacete da salvação ..." Efésios 6:17. Para que serve o capacete? Ele tem a função específica de proteger a cabeça, e é equipamento de segurança obrigatório para quem anda de motocicleta, de bicicleta, brinca de skate ou patins, pratica algum esporte de risco, trabalha em construções etc. Ele protege a caixa craniana de traumatismos. Na nossa guerra espiritual, também precisamos de um capacete que guarde a nossa mente, pois este é o nosso maior campo de batalha. Satanás sabe disso e investe constantemente criando formas atraentes e criativas para encher a cabeça de idéias e pensamentos contrários à Palavra de Deus, procurando tirar-nos dos Seus princípios. Você viu que toda a nossa armadura tem como base a verdade que está em Jesus e nos ensinamentos da Palavra de Deus; a justiça, que consiste em vivermos de forma íntegra, conforme os princípios bíblicos; a fé, pois se não cremos naquilo que estamos fazendo, de nada nos adianta e a fé que é a única forma de nos aproximarmos de Deus e agradá-lO, pois não posso me achegar a alguém que eu nem sequer acredito que existe; e no Evangelho da paz, os ensinamentos de Jesus, para que possamos viver o Seu Reino aqui na Terra e levarmos esse Reino a todo lugar aonde formos, libertando vidas do inferno. Nenhuma das nossas armas é física, mas todas são espirituais, pois a nossa luta não é contra as pessoas, mas contra o nosso inimigo satanás. O capacete da Salvação nos foi dado por Deus para guardarmos a nossa mente de todo e qualquer ensino contrário à Palavra de Deus. É isso mesmo! Guardar a nossa mente, cobri-la com a verdade, a justiça, a fé, para que os ensinamentos que Lúcifer joga todos os dias na nossa mente não possam penetrar e nos enganar. A ESPADA DO ESPÍRITO - "Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti" Salmos 119:11. " ... e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus" Ef 6:17. A Palavra de Deus é a arma mais poderosa do Universo: a espada do Espírito. É isso mesmo! Não se espante. Em primeiro lugar, precisamos conhecê-la. Um soldado, antes de aprender a atirar, deve primeiro conhecer a arma que vai usar. Para isso, o instrutor o ensina a montar e desmontar, a conhecer cada peça, como funciona, para que está ali e o que pode acontecer se ela falhar. Há muitas pessoas andando com Bíblia embaixo do braço, dentro do carro, guardando na estante, carregando na bolsa ou deixando aberta em cima da mesa (geralmente o Salmo 91), como se fosse um amuleto da sorte. Mas nem sequer abrem a Bíblia para lerem de vez em quando. Para conhecer a Palavra, é preciso ler, estudar, meditar diariamente. O Salmo 1 diz que o homem que medita nessa Palavra dia e noite é bem-aventurado. Depois é preciso aprender a usá-la. É isso mesmo! Lembra quando Jesus estava no deserto e foi tentado por satanás? Em Mateus 4:1-11 encontramos Jesus no deserto, em jejum de 40 dias, quando satanás aparece para tentá-lo. Três vezes satanás usou contra Jesus as suas armas e três vezes Jesus o venceu com o poder da palavra: Está escrito. O que Deus escreveu ninguém pode mudar e o inimigo sabe disso. Ele sabe que quando a espada do Espírito é liberada pela nossa boca ele não tem mais chance para nos vencer. E você? Sabe disso? Sabe que a sua boca é a maior arma contra o inferno quando se abre para declarar a Palavra? Pois se você não sabe, o diabo sabe, por isso procura sempre meios de fazer com que você não leia a Bíblia, ache chato, sem graça. E às vezes, até os pais colaboram quando fazem da leitura da Palavra um castigo: Você está muito desobediente! Não vai ver televisão. Já para o quarto, de castigo, ler a Bíblia. Que desperdício! Quanta munição jogada fora! Assim como um dia o Senhor colocou na boca de Jeremias as Suas palavras (Jr 1:4-10), assim também as colocará na sua, para que você, como um gadita, guerreiro do Senhor, possa usá-la adequadamente desfazendo as obras do inferno. E então, guerreiro? Vamos treinar? Vista a sua armadura, tomando o cinto da verdade, a couraça da justiça, as sandálias de Evangelho da paz, o escudo da fé, o capacete da salvação, e tome agora a sua espada para lutar contra inferno.