terça-feira, 14 de outubro de 2014

Passeio no Memorial Irmã Dulce - Salvador-BA

Eu com minhas filhas na rua de Salvador-BA e o Esposo só nas fotos, obrigado por este momento lindo e pela paciência comigo.                             

Olá amigos(as) no dia 08/10/2014 eu e minha família tivemos a oportunidade de conhecer o Memorial Irmã Dulce, e vou relatar alguns momentos da História da religiosa baiana que viveu para ajudar os mais necessitados, sendo a primeira beata baiana.O local, que recebe 85 mil pessoas por ano, conta com um grande acervo fotográfico da vida e obra, além de objetos e documentos pessoais da freira.
O memorial é destino certo para os turistas do segmento religioso que visitam a capital baiana.
                                                                           
Fatos marcantes da vida de Irmã Dulce:
1914 - Nasce em Salvador e é batizada Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, filha do cirurgião dentista Dr. Augusto Lopes Pontes e de Dona Dulce Maria de Souza Brito Lopes Pontes.
                                                                                 

1927 - Aos 13 anos, já demostra interesse em ajudar os mais necessitados e por esta época já atendia doentes no portão de sua casa, na rua da Independência, 61 - Bairro de Nazaré.
1933 - Ingressa na Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, no Convento de Nossa Senhora do Carmo, em São Cristovão, no Estado de Sergipe e recebe o hábito e o nome de Irmã Dulce em homenagem à mãe falecida  no ano de 1921 aos 26 anos de idade.
1934 - Volta para Bahia e vai trabalhar no Hospital Espanhol exercendo as funções de enfermeira, sacristã, porteira e responsável pelo raio X.
1939 - Invade casas abandonadas na Rua Ilha dos Ratos para dar abrigo a um pequeno jornaleiro.
1949 - Ocupa um terreno que antes abrigava um galinheiro ao lado do convento inaugurado em 1947, após a autorização da sua Superiora, com os primeiros 70 doentes, dando origem a tradição propagada a décadas pelo povo baiano, de que a Serva de Deus construia o maior Hospital da Bahia, a partir de um simples galinheiro.
                                                                             
1959 - Fundação das Obras Sociais  Irmã Dulce.
                                                                                
1983 - Inauguração do Hospital Santo Antônio com 1.000 leitos.
1988 - É indicada ao Prêmio Nobel da Paz.
1991 - Recebe no seu leito de enferma a visita do Papa João Paulo II,  pela última vez em 20/10/1991                                                                                 
1992 - Numa sexta feira 13/03, morre às 16:45 hrs aos 77 anos, no Convento Santo Antônio, situado na Av. Dendezeiros, depois de sofrer por 16 meses.
2010 - Tem seu primeiro milagre reconhecido.
2011 - Em 22 de maio de 2011, ela foi beatificada, após o reconhecimento pelo Vaticano de um milagre atribuído a sua intercessão.O processo deixa o Anjo Bom do Brasil a um passo de se tornar santa. Para isso, basta a confirmação de mais um milagre.
                                                                                 


OBS: Já esta disponível na internet o trailer do filme "Irmã Dulce " através do endereço
www.youtube.com/irmadulceofilme 
E o filme estreia nos cinemas de todo o país em 27 de Novembro de 2014.

Mais alguns fotos, a que mais me emocionou e ficou marcada que me deixou mais com fé foi a do quarto dela, a cadeira que ela dormiu por 30 anos sentada por uma promessa....lindo demais.
                                                                           

                                                                                 
                                                                           
                                                                             
                                                                             
                                                                           
                                                                   

Nenhum comentário:

Postar um comentário