terça-feira, 30 de junho de 2015

PRIMEIROS SANTOS MÁRTIRES DA IGREJA DE ROMA (anos 64 a 67 d.C.)

São recordados conjuntamente, neste dia, os inúmeros cristãos que sofreram o martírio em Roma, acusados injustamente pelo imperador Nero de terem incendiado a cidade.
Para o último dia de junho, a Igreja reservou a veneração dos PRIMEIROS MÁRTIRES DE ROMA. Antigamente era a festa litúrgica de São Paulo. Foram vítimas do orgulho do imperador Nero. Revestidos de peles de animais, eram lançados aos cães ferozes, crucificados ou queimados vivos, como tochas, à noite, nos jardins do imperador.

Santos Mártires de Roma: multidões de fiéis, homens, mulheres, idosos, jovens e crianças que foram lançados
às feras, crucificados ou queimados vivos, devido ao ódio e maldade do imperador Nero. 

Certo dia, um pavoroso incêndio reduziu Roma a cinzas. Em 19 de julho de 64, a poderosa capital virou escombros e o imperador Nero, considerado um déspota imoral e louco por alguns historiadores, viu-se acusado de ter sido o causador do sinistro. Para defender-se, acusou os cristãos, fazendo brotar um ódio contra os seguidores da fé que se espalharia pelos anos seguintes.

Nero aproveitou-se das calúnias que já cercavam a pequena e pouco conhecida comunidade hebraica que habitava Roma, formada por pacíficos cristãos. Na cabeça do povo já havia, também, contra eles, o fato de recusarem-se a participar do culto aos deuses pagãos. Aproveitando-se do desconhecimento geral sobre a religião, Nero culpou os cristãos e ordenou o massacre de todos eles.

Os cristãos eram lançados às feras (leões, tigres, leopardos, hienas, lobos ou cães ferozes famintos) ou queimados
vivos para "deleite" da platéia sedenta de sangue.

Há registros de um sadismo feroz e inaceitável, que fez com que o povo romano, até então liberal com relação às outras religiões, passasse a repudiar violentamente os cristãos. Houve execuções de todo tipo e forma e algumas cenas sanguinárias estimulavam os mais terríveis sentimentos humanos, provocando implacável perseguição.


Alguns adultos foram embebidos em piche e transformados em tochas humanas usadas para iluminar os jardins da colina Oppio. Em outro episódio revoltante, crianças e mulheres foram vestidas com peles de animais e jogadas no circo às feras, para serem destroçadas e devoradas por elas.


Santos Mártires cristãos sendo trucidados pelas feras e cujas almas são recebidas pelos Anjos do Senhor

Desse modo, a crueldade se estendeu de 64 até 67, chegando a um exagero tão grande que acabou incutindo no povo um sentimento de piedade. Não havia justificativa, nem mesmo alegando razões de Estado, para tal procedimento. O ódio acabou se transformando em solidariedade.

Os apóstolos são Pedro e são Paulo foram duas das mais famosas vítimas do imperador tocador de lira, por isso a celebração dos mártires de Nero foi marcada para um dia após a data que lembra o martírio de ambos.

Porém, como bem nos lembrou o papa Clemente, o dia de hoje é a festa de todos os mártiresque com o seu sangue sedimentaram a gloriosa Igreja Católica Apostólica Romana.

Exéquias e sepultamento de Santos Mártires nas catacumbas romanas



segunda-feira, 15 de junho de 2015

Evangelho MC 4,35-41 - 21/06/15 - 12º Domingo do Tempo Comum

                                            

Dizendo Não! ao medo

História:
                   Mariana já estava com 5 anos quando percebeu que um de seus dentes estava amolecendo. Um belo dia, a mamãe da Mariana tentou marcar uma consulta com o dentista, mas não conseguiu... Foi então que ela mesma decidiu arrancar o dentinho da Mariana.

                   Nessa hora, Mariana sentiu medo, seu coração estava batendo muito rápido e ela perguntou se ia doer. Pois Mariana, tinha medo de sentir dor.

                    A mamãe respondeu que a dor seria pequenininha, e logo amarrou um fio dental no dentinho mole. Balançou pra lá e pra cá, pra lá e pra cá, até que..... TUC - puxou o dentinho de uma vez!
                    A Mariana disse que não doeu nada!                                                 Na verdade, até os discípulos já sentiram medo. Certa vez, eles estavam num barco junto com Jesus. De repente, uma grande tempestade agitou as águas de tal forma que as águas cobriam o barco.  Jesus estava dormindo. Os discípulos ficaram com muito medo do barco virar, e começaram a acordar Jesus gritando: Socorro Senhor! Nós vamos morrer!
Quando Jesus acordou, perguntou:
- Por que é que vocês estão tão medrosos?
Jesus se levantou e ordenou que o vento e as ondas se acalmassem, e assim aconteceu: a tempestade se acalmou!!
Todos os discípulos ficaram admirados em ver que até o vento e o mar obedecem a Jesus!
                     Viu só? Deus não nos criou para sentir medo das coisas. Precisamos aprender a confiar em Deus e então o medo desaparecerá!
Referência bíblica: Mateus 8:23-27
Macos 4:35-41; Lucas 8:22-25