segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Ano Santo da Misericórdia




Palavras do Papa Francisco
Motivação
“Que a celebração do Ano Santo seja um verdadeiro momento de encontro com a misericórdia de Deus”.
“Espero que a indulgência jubilar chegue a cada um como uma experiência genuína da misericórdia de Deus, que vai ao encontro de todos com o rosto do Pai que acolhe e perdoa, esquecendo completamente o pecado cometido”.
Peregrinação
“Para viver e obter a indulgência, os fiéis são chamados a realizar uma breve peregrinação rumo à Porta Santa ... como sinal do profundo desejo de verdadeira conversão”.
“Estabeleço, igualmente, que se possa obter a indulgência nos Santuários onde se abrir a Porta da Misericórdia e nas igrejas identificadas como Jubilares. É importante que este momento esteja unido, em primeiro lugar, ao Sacramento da Reconciliação e à celebração da santa Eucaristia com uma reflexão sobre a misericórdia”.
“Será necessário acompanhar estas celebrações com a profissão de fé e com a oração por mim e pelas intenções que trago no coração para o bem da Igreja e do mundo inteiro”.
Enfermos
Sobre aqueles que, por diversos motivos, estiverem impossibilitados de ir até à Porta Santa, sobretudo os doentes e as pessoas idosas e sós, que muitas vezes se encontram em condições de não poder sair de casa, o Papa garantiu: É preciso “viver com fé e esperança jubilosa este momento de provação, recebendo a comunhão ou participando na santa Missa e na oração comunitária, inclusive por meio dos vários meios de comunicação – que será para eles o modo de obter a indulgência jubilar”.
Presos
“O Jubileu constituiu sempre a oportunidade de uma grande anistia, destinada a envolver muitas pessoas que, mesmo merecedoras de punição, todavia tomaram consciência da injustiça perpetrada e desejam sinceramente inserir-se de novo na sociedade, oferecendo o seu contributo honesto”. “A todos eles chegue concretamente a misericórdia do Pai que quer estar próximo de quem mais necessita do seu perdão”. O Papa destacou ainda que os presos “poderão obter a indulgência, e todas as vezes que passarem pela porta da sua cela, dirigindo o pensamento e a oração ao Pai, que este gesto signifique para eles a passagem pela Porta Santa, porque a misericórdia de Deus, capaz de mudar os corações, consegue também transformar as grades em experiência de liberdade”.
Misericórdia
Ao recordar o seu pedido para que “a Igreja redescubra neste tempo jubilar a riqueza contida nas obras de misericórdia corporais e espirituais”, o Papa recordou que a experiência da misericórdia torna-se visível no testemunho de sinais concretos como o próprio Jesus nos ensinou”.
“Todas as vezes que um fiel viver uma ou mais destas obras pessoalmente obterá, sem dúvida, a indulgência jubilar. Daqui o compromisso a viver de misericórdia para alcançar a graça do perdão completo e exaustivo pela força do amor do Pai que não exclui ninguém. Portanto, tratar-se-á de uma indulgência jubilar plena, fruto do próprio evento que é celebrado e vivido com fé, esperança e caridade”.
Falecidos
O Papa explicou ainda que a indulgência jubilar poderá ser obtida também para quantos faleceram.
“A eles estamos unidos pelo testemunho de fé e caridade que nos deixaram. Assim como os recordamos na celebração eucarística, também podemos, no grande mistério da comunhão dos Santos, rezar por eles, para que o rosto misericordioso do Pai os liberte de qualquer resíduo de culpa e possa abraçá-los na beatitude sem fim”.
Aborto
Neste contexto caótico, Francisco afirmou que “o drama do aborto é vivido por alguns com uma consciência superficial, quase sem se dar conta do gravíssimo mal que um gesto semelhante comporta. Muitos outros, ao contrário, mesmo vivendo este momento como uma derrota, julgam que não têm outro caminho a percorrer”.
O Papa dedicou atenção especial às mulheres que recorreram ao aborto. “Conheço bem os condicionamentos que as levaram a tomar esta decisão. Sei que é um drama existencial e moral. Encontrei muitas mulheres que traziam no seu coração a cicatriz causada por esta escolha sofrida e dolorosa”.
O que aconteceu é profundamente injusto – sublinhou o Papa – “contudo somente a sua verdadeira compreensão pode impedir que se perca a esperança. O perdão de Deus não pode ser negado a quem quer que esteja arrependido, sobretudo quando com coração sincero se aproxima do Sacramento da Confissão para obter a reconciliação com o Pai”.
Absolvição do pecado do aborto
Também por este motivo – destacou o Pontífice – “decidi conceder a todos os sacerdotes para o Ano Jubilar a faculdade de absolver do pecado de aborto quantos o cometeram e, arrependidos de coração, pedirem que lhes seja perdoado”.
Ao estender a absolvição do aborto a todos os sacerdotes, o Papa recomendou: “os sacerdotes devem se preparar para esta grande tarefa sabendo conjugar palavras de acolhimento genuíno com uma reflexão que ajude a compreender o pecado cometido, e indicar um percurso de conversão autêntica para conseguir entender o verdadeiro e generoso perdão do Pai, que tudo renova com a sua presença”.
Fraternidade São Pio X
“Este Ano Jubilar da Misericórdia não exclui ninguém” ... “De diversas partes, alguns irmãos Bispos referiram-me acerca da sua boa fé e prática sacramental, porém unida à dificuldade de viver uma condição pastoralmente árdua”, explicou.
“Entretanto, movido pela exigência de corresponder ao bem destes fiéis, estabeleço por minha própria vontade que quantos, durante o Ano Santo da Misericórdia, se aproximarem para celebrar o Sacramento da Reconciliação junto dos sacerdotes da Fraternidade São Pio X, recebam validamente e licitamente a absolvição dos seus pecados”.
Diocese de Apucarana
Dia 08 – Que em todas as paróquias da diocese, em qualquer horário, seja celebrada a Santa Missa, como sinal de comunhão com o Papa Francisco e com toda a Igreja.
Igreja Jubilares da Diocese
A Catedral, os Santuários e mais algumas por motivos especiais como a celebração do seu jubileu em 2016. Quais são essa igrejas?
Decanato de Apucarana: A Catedral Nossa Senhora de Lourdes, o Santuário São José; Decanato Centro: Igreja de Nossa Senhora das Dores em Marilândia do Sul, igreja mais antiga da Diocese; Decanato Centro Norte: Santuário Nossa Senhora Aparecida e o Santuário do Divino Pai Eterno em Arapongas; Decanato Norte: Santuário Nossa Senhora Aparecida em Astorga, Igreja Nossa Senhora das Graças de Santa Fé, por estar comemorando 60 anos e Igreja de Santo Inácio, por ser ali o início da Diocese de Apucarana; Decanato Centro Sul: Igreja Nossa Senhora Mãe da Unidade em Faxinal; Decanato Sul: o Santuário de Santa Rita de Cássia em Lunardeli, Igreja do Senhor Bom Jesus em Ivaiporã, por estar comemorando 60 anos, Igreja de Nossa Senhora do Rocio, em Jardim Alegre, por estar comemorando seu Jubileu de Ouro.
Dia 13 de dezembro, 3º Domingo do Advento (Domingo Gaudete), às 19h30 na Catedral, será a abertura oficial do Ano da Misericórdia na Diocese. Nesse mesmo dia, pelos reitores de santuários, ou pelo próprio pároco, que se faça essa abertura do Ano Santo em todas as Igrejas mencionadas.
Lembrar sempre que o essencial deste Ano da Misericórdia é a conversão e a prática das obras de misericórdia – corporais e espirituais e que todos possam ter acesso ao sacramento da misericórdia, ou seja, do Sacramento da Confissão.
Eis as Obras de Misericórdia:
a) Obras de Misericórdia corporais: Dar de comer a quem tem fome; Dar de beber a quem tem sede; vestir os nus; visitar os doentes; visitar os presos; acolher os peregrinos; enterrar os mortos.
b)Obras de Misericórdia Espirituais: dar bom conselho; corrigir os que erram; ensinar os ignorantes; suportar com paciência as fraquezas do próximo; consolar os aflitos; perdoar os que nos ofenderam; rezar pelos vivos e pelos mortos.
Durante o ano de 2016, será escolhida uma data para cada igreja jubilar onde o bispo e os padres daquele decanato estarão à disposição para ouvir confissões. No final do dia, ou à noite será celebrada a Santa Missa onde se concederá Indulgência Plenária.
Indulgência Plenária
Para que se possa obter a indulgência (por exemplo, para os doentes, para os presos e para quem realizar uma obra de misericórdia), para além das habituais condições que exigem um coração disponível (confissão e comunhão eucarística) para que a graça possa trazer os frutos desejados, os fiéis deverão deter-se em oração para realizar os últimos atos necessários: a profissão de fé e a oração pelo Papa e pelas suas intenções. Esta oração será, pelo menos, um Pai-Nosso - a oração que o próprio Jesus nos ensinou para nos dirigirmos ao Pai como filhos - mas se pode acrescentar outras orações. Tendo em conta o espírito particular deste Ano Santo, sugere-se a bonita oração do Papa Francisco para o Jubileu e, para concluir o momento de oração, uma invocação ao Senhor Jesus Misericordioso (por exemplo, “Jesus Misericordioso, eu confio em Ti).
Feliz Natal!
Aproveito para desejar a todos e a todas um feliz e Santo Natal! Que Jesus, reclinado pobremente na manjedoura, ilumine nosso coração e nos motive a vivermos em profunda sintonia com ele nos diversos serviços desta jubilada Diocese de Apucarana. Que o Menino Jesus, ladeado pela Virgem Maria e São José, olhe e abençoe cada família de nossa diocese. Que possamos experimentar concretamente o amor de Deus em nossa vida e nos animemos a viver mais intensamente como Jesus viveu. Com nossas orações e nossa bênção!
+Celso A. Marchiori
Oração do Papa Francisco para o Jubileu da Misericórdia.
Senhor Jesus Cristo, Vós que nos ensinastes a ser misericordiosos como o Pai celeste, e nos dissestes que quem Vos vê, vê a Ele. Mostrai-nos o Vosso rosto e seremos salvos. O Vosso olhar amoroso libertou Zaqueu e Mateus da escravidão do dinheiro; a adúltera e Madalena de colocar a felicidade apenas numa criatura; fez Pedro chorar depois da traição, e assegurou o Paraíso ao ladrão arrependido. Fazei que cada um de nós considere como dirigida a si mesmo as palavras que dissestes à mulher samaritana: Se tu conhecesses o dom de Deus! Vós sois o rosto visível do Pai invisível, do Deus que manifesta sua onipotência sobretudo com o perdão e a misericórdia: fazei que a Igreja seja no mundo o rosto visível de Vós, seu Senhor, ressuscitado e na glória. Vós quisestes que os Vossos ministros fossem também eles revestidos de fraqueza para sentirem justa compaixão por aqueles que estão na ignorância e no erro: fazei que todos os que se aproximarem de cada um deles se sintam esperados, amados e perdoados por Deus. Enviai o Vosso Espírito e consagrai-nos a todos com a sua unção para que o Jubileu da Misericórdia seja um ano de graça do Senhor e a Vossa Igreja possa, com renovado entusiasmo, levar aos pobres a alegre mensagem proclamar aos cativos e oprimidos a libertação e aos cegos restaurar a vista. Nós Vo-lo pedimos por intercessão de Maria, Mãe de Misericórdia, a Vós que viveis e reinais com o Pai e o Espírito Santo, pelos séculos dos séculos. Amém.
ORIENTAÇÕES DE DOM CELSO PARA O ANO DA MISERICÓRDIA NA DIOCESE DE APUCARANA-PR.
http://diocesedeapucarana.com.br/portal/

3 comentários:

  1. A Paz de Cristo,

    Deixo uma lembrancinha que fiz, espero que goste do acróstico:

    C ultivar uma vida de oração.
    R evigorar-se pela leitura diária da Palavra.
    E star sempre disposto a obedecer a Deus.
    S er uma testemunha fiel no viver e no falar.
    C onsagrar a Deus seu corpo, tempo e talentos.
    E sperar de Deus a orientação para a vida.
    R evestir-se do poder do Espírito Santo.

    Precisamos CRESCER, na Graça e no conhecimento do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

    E o Deus da paz vos santifique em tudo, e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.
    I Tessalonicenses 5. 23

    A propósito, caso ainda não esteja seguindo o meu blog, deixo o convite:
    Fruto do Espírito
    Em Cristo,

    ***Lucy***

    P.S. Deixo o convite para também conhecer o blog do irmão J.C. de Araújo.

    Mensagens atuais, outras polêmicas, porém abençoadoras.

    Discípulo de Cristo

    ResponderExcluir
  2. A paz, obrigado pela visita! Sejam sempre bem vindos.

    ResponderExcluir